Posts Tagged ‘UNESP’

IV JORNADA DE ESTUDOS AGRÁRIOS E 30 ANOS DO CPEA

Entre os dias 03 a 05 de Junho ocorrerá na Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC)/campus de Marília, a IV Jornada de Estudos Agrários, que terá como eixo central a celebração dos 30 anos do Centro de Pesquisas e Estudos Agrários (CPEA) tratando dos desafios e perspectivas das pesquisas sobre Questão Agrária, Ambiental e dos Direitos Humanos.

Fundado em 1988 na Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC – UNESP/Marília) o CPEA tem como objetivo promover ensino, pesquisa e extensão sobre questão agrária e movimentos sociais, abrangendo linhas de pesquisas como: agricultura, desenvolvimento sustentável e meio ambiente; culturas tradicionais e etnoconhecimento; direitos humanos e a luta pela terra; movimentos sociais e a reforma agrária; e, políticas públicas ambiente e populações. No decorrer destas três décadas, o Centro desenvolveu na área de pesquisa e extensão diversos trabalhos científicos, dentre eles: relatórios, artigos, monografias, livros, teses, dissertações, documentários, além da promoção de eventos na própria universidade e fora dela.

WhatsApp Image 2019-05-29 at 18.08.21

 

MARÍLIA PARTICIPARÁ DA JORNADA UNIVERSITÁRIA DE LUTA PELA REFORMA AGRÁRIA (JURA)

O evento ocorrerá no dia 17 de abril de 2019 na UNESP/FFC – Campus de Marília, no período da manhã, tarde e noite.

Gabriela Louzada

 

A Jornada Universitária de Luta pela Reforma Agrária (JURA) criada no 2º Encontro Nacional dos Professores Universitários, realizado em 2013, acontece anualmente nos meses de Abril e Maio em universidades de todo o país, com a parceria do Movimento Sem Terra (MST).  O período escolhido para o evento concilia com o dia 17 de abril, no qual ocorreu o massacre de Eldorado dos Carajás, em 1996, marcado pela morte de 19 trabalhadores Sem Terra.

A JURA promove um importante espaço para discutir as questões relacionadas à Reforma Agrária, à Soberania Alimentar e as lutas no campo, além de fomentar atividades culturais e feiras agroecológicas como parte do evento.

A Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP) – Campus de Marília será uma das universidades que sediará a JURA. O evento irá ocorrer no dia 17 de abril de 2019, no anfiteatro da universidade. Segue a programação:

arte

Durante o mês de Abril, no período de 09 a 28, a biblioteca da universidade terá um espaço de exposição de fotografias feitas pelos pesquisadores do projeto “Tecnologias Sociais em Segurança Alimentar e Nutricional: vídeo e fotografia como possibilidade de valorização de saberes em Agroecologia e Educação do Campo” em trabalhos de campo nos assentamentos do MST Luiz Beltrame de Castro (Gália/SP) e Reunidas e Dandara (Promissão/SP), e na Feira Popular de Luta contra os agrotóxicos, que ocorre em Marília e viabiliza a venda de alimentos produzidos nesses assentamentos.

 

APOIOS:

UNESP – Faculdade de Filosofia e Ciências, campus de Marília.

ONG Origem

Centro de Pesquisa em Estudos Agrários (CPEA)

Movimento Sem Terra (MST)

Grupo de Pesquisa Organização e Democracia (GPOD)

Prefeitura de Marília

Seção Técnica de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (STAEPE)

PESQUISADORES ORGANIZAM EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA E FAZEM OFICINA DE FILMAGEM

A exposição fotográfica e a exibição do documentário ocorreram no dia 13 de dezembro de 2018 durante a inauguração da sede do Centro de Ciência, Tecnologia e Inovação para Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Interssan), no campus da UNESP em Botucatu.

 

Leonardo Moreno

Entre as atividades já realizadas pelos pesquisadores e bolsistas do projeto “Tecnologias Sociais em Segurança Alimentar e Nutricional: vídeo e fotografia como possibilidade de valorização de saberes em Agroecologia e Educação do Campo” estão a organização de uma exposição fotográfica apresentação, participação em oficinas de filmagem e exibição de um documentário produzido pela equipe a partir dos trabalhos de campo.

WhatsApp Image 2019-04-05 at 19.26.16 (2)

Um dos objetivos é divulgar práticas oriundas das tecnologias sociais e da agroecologia que podem ajudar a garantir a soberania alimentar. A exposição fotográfica aconteceu no dia 13 de dezembro durante a inauguração da sede do Centro de Ciência, Tecnologia e Inovação para Soberania Segurança Alimentar e Nutricional (Interssan) no campus de Botucatu da Unesp (Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”).

WhatsApp Image 2019-04-05 at 19.26.16As imagens foram captadas nos assentamentos Luiz Beltrame (Gália), Reunidas e Dandara (Promissão) e em feiras de venda dos alimentos produzidos nesses locais. Esses territórios e práticas de produção e comercialização dos alimentos constituem uma rede sociotécnica e são exemplos de tecnologias sociais produzidas por essas comunidades.

Tais ferramentas contribuem para a Soberania Alimentar e Segurança Alimentar e Nutricional, a viabilização material dos produtores e o fortalecimento de um paradigma que se opõe ao agronegócio – responsável por severas consequências contemporâneas aos indivíduos, sociedade e meio ambiente.

A exposição foi precedida de uma análise e seleção das imagens feitas pelos bolsistas do projeto, além da reflexão sobre as fotografias.

Na inauguração em Botucatu também foi exibido um documentário com imagens coletadas durantes visitas de campo nos territórios pesquisados. Outros documentos ainda serão elaborados. Para a realização do produto audiovisual foi necessária analise dos vídeos com entrevistas já produzidas, elaboração de roteiro e edição do material.

 

WhatsApp Image 2019-04-05 at 19.26.17

O processo envolveu também a reflexão sobre a necessidade de oficinas para aperfeiçoamento de técnicas de filmagem antes da retomada de novas entrevistas.

As primeiras oficinas sobre os tipos de enquadramento, formas adequadas de captação de áudio, posicionamento da câmera e dos entrevistados, utilização do tripé e outros recursos foram realizadas no campus da Unesp de Marília em março de 2019. As reuniões contaram participação de profissionais que trabalham em meios de comunicação.

Outros encontros acontecerão também em abril e – se necessário – em maio. Com o término da etapa de gravações começará a pós-produção, que envolve a edição e finalização de outros documentários propostos. A produção de textos acadêmicos ocorre paralela e de forma complementar ao trabalho audiovisual.

8º Congresso de Extensão Universitária da UNESP

O Congresso de Extensão Universitária da UNESP visa compartilhar com a sociedade paulista uma parte das nossas melhores práticas extensionistas no sentido da ampliação da troca de conhecimentos e saberes sistematizados entre a Universidade, a Comunidade e as diversas esferas do poder público, visando assim otimizar a efetividade da transferência de conhecimentos disponíveis no meio acadêmico à sociedade. E foi realizado a 8º edição quinta-feira dia (01/10) nas Unidades Universitárias em: Araçatuba, Araraquara, Assis, Bauru, Botucatu, Franca, Guaratinguetá, Ilha Solteira, Jaboticabal, Marília, Presidente Prudente, Rio Claro, São José do Rio Preto, São José dos Campos e São Paulo. E  nos Campus Experimentais: Dracena, Itapeva, Ourinhos, Registro, Rosana, São João da Boa Vista, Sorocaba e Tupã. Os trabalhos puderam ser inscritos via SITE DO EVENTO e deveriam ser inseridos em três diferentes eixos:

 

Eixo 1 – “Direitos, Responsabilidades e Expressões para o Exercício da Cidadania” (inclui as áreas de: Comunicação, Cultura, Direitos  Humanos, Educação, Política e Economia).

Eixo 2 – “Os Valores para Teorias e Práticas Vitais” (inclui as áreas de: Meio Ambiente, Saúde e Ciências Agrárias e veterinárias)

Eixo 3 – “Novas Tecnologias: Perspectivas e Desafios” (inclui as áreas de: Tecnologia, Trabalho, Espaços Construídos, Geração de Renda e Tecnologia Social)

A organização dos 3 eixos temáticos teve como modelo o II Congresso da AUGM.

 

 O CPEA ganhou com o trabalho “Possibilidades para o uso do audiovisual como ferramenta pedagógica em assentamentos rurais” dentro da temática 2. Os trabalhos premiados em todas as unidades podem ser consultados AQUI.

 

Chamada de Trabalhos: PERCURSOS – Revista de Antropologia

 

ImagemPercursos – revista de Antropologia, é uma publicação eletrônica de caráter cientifico, com periodicidade semestral, organizada pelos alunos do curso de Ciências Sociais da Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista (FFC/UNESP), que destina-se a divulgação de trabalhos que se insiram dentro das discussões antropológicas

 

Com a coordenação do professor Antônio Mendes da Costa Braga, do Departamento de Sociologia e Antropologia da Unesp de Marília, um corpo de pareceristas de diversas universidades do país, a revista se propõe a ser um espaço de excelência na divulgação de trabalhos de graduandos que desenvolvam pesquisas na antropologia.

 

Por isso com grande entusiasmo que anunciamos que está aberta a chamada para recebimento de trabalhos de graduandos, sendo esses artigos e resenhas, para nossa primeira edição e informar que estaremos recendo submissões em fluxo contínuo.

 

Para mais informações acesse:

 

https://www.facebook.com/pages/Revista-de-Antropologia/139079412930547 e        http://percursosantropologia.blogspot.com.br/

Pesquisa de opinião pública: movimentos sociais e reforma agrária

No mês de abril desse ano, foi publicado no Boletim DATALUTA, uma publicação do Núcleo de Estudos, Pesquisas e Projetos de Reforma Agrária – NERA, o artigo “Pesquisa de opinião pública: movimentos sociais e reforma agrária”.

“Este texto é parte de uma pesquisa mais ampla denominada “Territorialidades em tensão: movimentos sociais, agronegócio e políticas de reforma agrária no Brasil entre 1985 a 2010”, que objetiva analisar o processo de formulação e execução das políticas de reforma agrária nos governos Lula da Silva, tendo por referência os governos Sarney e FHC.
Como parte da análise das territorialidades em tensão no campo brasileiro, resgatamos a pesquisa de opinião pública contratada pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil(CNA) junto ao Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOPE). Essa pesquisa, realizada em novembro de 2009, objetivou uma “Pesquisa de Opinião Pública sobre a Atual Imagem dos Movimentos Nacionais”. A análise dos dados da pesquisa funcionou como um Leitmotiv para a problematização da tensão das  territorialidades que envolvem os protagonistas ligados a reforma agrária.
Com o objetivo de confrontar os dados do IBOPE/CNA realizamos, entre os dias 31 de janeiro a 09 de fevereiro de 2011, a “Pesquisa de Opinião Pública sobre a Reforma Agrária nas cidades de Marília e Presidente Prudente”. A escolha dessas cidades deveu-se a similaridade das mesmas, ambas de porte médio, centros regionais e com o mesmo perfil populacional. Nossa hipótese inicial é que haveria diferença com relação à percepção sobre os movimentos sociais visto que Presidente Prudente se localiza em uma região (Pontal do Paranapanema) com maior incidência de conflitos pela terra…”

Acesse o texto na íntegra clicando aqui!

Cuide do planeta

Vídeo da WWF sobre a ação humana no planeta.

Fonte: WWF