Cabra Marcado para Morrer.

 

Carolina Fernandes Carvalho.

 

A Ditadura Militar no Brasil hoje completa cinquenta anos: no dia primeiro de abril de 1964, o povo brasileiro acordava dentro de um regime opressor. O estopim para que o regime acontecesse foi à pequena abertura para as classes menos abastadas por causa do governo João Goulart.  O Mundo estava vivenciando a Guerra Fria e a classe dominante brasileira temia a guinada à Esquerda.  

 Durante vinte e um anos, a falta de democracia, a falta de direitos constitucionais, perseguição política foram algumas das diversas características negativas que trouxa a linha histórica brasileira. A Amazônia sofreu perdas inadmissíveis durante a construção da Rodovia Transamazonica, também conhecida como BR – 230, entre 1969 a 1974: comunidades indígenas  como waimiri atrori, tenharim e jiahui foram alvos de um show de terror constante, em que parte de sua cultura e integrantes se extinguiram. Documentos apontam que os militares “responsáveis” pela área amazônica atentaram contra a aldeia waimiri. Os documentos oficiais do governo da época indicam que pouco antes do inicio da construção das rodovias, na década de 70, havia três mil indígenas desta etnia; na década de 80, o número de integrantes diminuiu para trezentas pessoas.

Em fevereiro de 1964, o diretor Eduardo Coutinho põem em prática o projeto de documentar a vida de uma liderança camponesa nordestina, João Pedro Teixeira, que tinha sido assassinado de forma suspeita no ano de 1962 – era uma figura importante para a reforma agrária da região: vice líder da “Ligas Camponesas de Sapé.” e representante de 14 dessas ligas nas Federações das Ligas Camponesas da Paraíba. Infelizmente o documentário foi interrompido com os algozes militares que o impediram.

Após dezessete anos, Coutinho volta ao local das filmagens e encontram a viúva e demais camponeses, a maioria vivendo em clandestinidade. A visão desde documentário se transforma: acima de um documentário sobre uma liderança camponesa, é o relato oral e visual de uma luta pelo campo tendo como cena um regime autoritário e repressor.

Segue abaixo o link do trailer do filme realizado, “Cabra Marcado para Morrer” – 1985. A outra ótica para se ver a luta do campo e como esse regime freou o que devia ter acontecido: a reforma agrária e visibilidade aos trabalhadores rurais.  

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: