Belo Monte: Deve ou não ser construída?

Cassia Lussani

 

 

Fonte: Folha.com

Entre os vários aspectos nos quais o projeto da Usina Hidrelétrica de Belo Monte traz dúvidas quanto à sua viabilidade econômica, uma vez que a relação custo/benefício é duvidosa, existem estudos que alertam para os impactos ambientais provenientes dessa obra sem a devida atenção.

Dentro da temática apresentada, disponibilizamos dois vídeos que tratam do mesmo projeto. O primeiro vídeo foi idealizado pelo Palácio do Planalto, apresentando o projeto e os possíveis benefícios que trariam o empreendimento. O segundo realizado pelo Greenpeace, abordando os problemas e impactos sociais que virão aos povos indígenas que habitam a região.

Fonte: PalaciodoPlanalto

 

Fonte: Greenpeace

Ao assistir a ambos os vídeos, fica clara a pouca importância dada pelos organizadores do projeto aos povos que vivem nessa região e que dependem dela para a reprodução do seu modo de vida.

A questão que colocamos é: Um empreendimento – dessa proporção, altos custos e impactos ambientais ainda desconhecidos – deve ser posto em ação sem considerar a posição dos que vivem nessa área e dela dependem? A geração de tal energia pode compensar os impactos sociais gerados com o deslocamento de toda a população dessas áreas? O modo de viver dos povos ribeirinhos vai além de uma opção de viabilidade econômica com a disponibilidade de pescado e produtividade das terras do entorno dos rios. Essa região representa a sua cultura e a lembrança dos antepassados, a história desses povos e a ligação deles com a natureza. A adoção do modo de viver do homem branco não é desejada por esses povos, então os projetos de realocação em novas áreas irá beneficiar essas populações? Mesmo com a busca pelo diálogo, o desejo dessa população não é ao menos ouvido, o que lhe garante que terá acesso aos seus direitos quanto à indenização e pela perda das terras? Por outro lado existe também a problemática do fluxo migratório que irá atrair por conta das construções das barragens. Essas cidades em sua maioria não estão preparadas para o aumento populacional de grandes proporções. Assim como os postos de trabalho que são abertos são ocupados, em sua maioria, pela população migrante. Isso demonstra, entre outras questões possíveis de serem elencadas, a inviabilidade da continuidade do projeto da Usina de Belo Monte. E, você, o que acha sobre esse projeto? Deixe seu comentário!

 

Anúncios

4 responses to this post.

  1. Posted by Adriane on 11 de fevereiro de 2011 at 5:10 PM

    Olá Cássia,

    Gostei do seu texto. É bom saber que existem pessoas que verdadeiramente refletem sobre os temas atuais de maneira crítica. Partilho muito da sua opinião sobre a inviabilidade do projeto de construção da Usina de Belo Monte. Que país é esse que projeta os interesses privados nas obras públicas? Quem, verdadeiramente, será beneficiado com essa construção???

    Responder

    • Posted by Suédna on 15 de janeiro de 2012 at 11:28 PM

      Pois é as pessoas só pensam nelas mesmas, e n
      sabem q essa pessoas também tem seus direitos…E sem contar que a
      sua cultura é muito importante ..

      Responder

  2. Posted by Roberta on 4 de março de 2011 at 12:58 PM

    Eu digo NÃO a Belo Monte!! Vamos juntos lutar por está causa 😉

    Responder

  3. É de fato, uma Usina iviável á sua determinável construção. O projeto inviabiliza os impáctos que causará, tanto socialmente quanto ambientalmente. Só quem não vê isso é quem já está “cego” ($$$$).
    Gostei do texto, satisfação.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: